Público surpreende na Abertura Oficial da Colheita de Arroz e Grãos

Evento debateu gestão, mercado de arroz, soja e pecuária, integração lavoura pecuária, além e crédito de carbono
Imagem do autor

Publicado em 25/02/2024

O número de visitantes esperados durante os três dias da 34ª Abertura Oficial da Colheita de Arroz e Grãos em Terras Baixas superou a expectativa dos organizadores do evento. No total,15,3 mil pessoas passaram pela Estação Experimental da Embrapa Clima Temperado, em Capão do Leão (RS) nos seus três dias, contra 13,5 mil do ano passado. “Só nos dois primeiros dias do evento, 13 mil pessoas prestigiaram a programação, que teve como tema “Gestão Potencializando Safras”, salientou o presidente da Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz), Alexandre Velho.

O dirigente destacou que esses números refletem o profissionalismo da organização. “É um evento que reúne desde as vitrines tecnológicas, a feira, a programação de palestras e painéis, além do novo espaço criado neste ano que foi a Arena Digital”, observou. A próxima edição da abertura da colheita já tem data marcada e ocorrerá entre os dias 18, 19 e 20 de fevereiro, na Estação Experimental da Embrapa Clima Temperado. O anúncio foi feito por Velho ao fazer uma avaliação da 34ª edição que se encerrou na sexta-feira.Ele também ressaltou a diversificação dos temas que contemplam a programação, que incluem gestão, mercado de arroz, soja e pecuária, integração lavoura pecuária, assim como questões ambientais, como o crédito de carbono. Velho citou, ainda, que a perspectiva para a safra 2023/2024 é de tranquilidade em relação ao abastecimento do mercado interno e a continuidade das exportações.Em relação ao perfil do produtor que compareceu ao evento deste ano, Velho disse que busca se atualizar e ter informações sobre as novas tecnologias, “o que é fundamental para as decisões tomadas dentro da propriedade”. “O produtor não tem como se manter no campo se não buscar se profissionalizar”, pontuou, lembrando que tem feito um alerta de que a decisão de plantio é individual, mas o reflexo é coletivo, é direto no mercado. “Por isso, é preciso manter um sistema com outras culturas que vai garantir não só o ajuste na parte da oferta e preços melhores, mas também uma fertilidade de solo e uma alta produtividade, e com isso levar em frente a cultura do arroz e enfrentar o alto custo de produção”, enfatizou.A 34ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz e Grãos em Terras Baixas é uma realização da Federarroz e correalização da Embrapa e do Senar, com patrocínio do Instituto Riograndense do Arroz (Irga) e do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa).
Alexandre Velho, presidente da Fedearroz
Alexandre Velho, presidente da Fedearroz
TAGS:
COMENTÁRIOS

O QUE VOCÊ ACHOU DESSE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO...

Destaques
Assine nossa NEWSLETTER
Notícias diárias no seu email!



Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.