Nível do Rio Guaíba está em 3,69 metros em Porto Alegre

O Rio Grande do Sul tem 580 mil desalojados e 39.595 pessoas estão em abrigos no Estado, conforme a Defesa Civil

O nível do Rio Guaíba baixou nesta sexta-feira. A medição realizada às 7h na Usina do Gasômetro, em Porto Alegre, está fixada em 3,69 metros, ou seja, 9 centímetros acima da cota de inundação, atualizada para 3,60 metros.

O recuo lento e gradual das águas na capital gaúcha, verificado nos últimos dias, permitiu que a prefeitura de Porto Alegre realizasse nesta quinta-feira a limpeza em locais da cidade onde a água já baixou.
Entrega de cestas básicas e água para o bairro do Arquipélago. Foto: Julio Ferreira / PMPA
Entrega de cestas básicas e água para o bairro do Arquipélago. Foto: Julio Ferreira / PMPA

Desde 6 de maio, quando as limpezas começaram nos pontos de resgate, até a noite de quinta-feira, 30, foram retiradas 20.412 toneladas de resíduos das ruas da capital gaúcha, como restos de móveis estragados, raspagem de lodo acumulado e varrição. Em áreas inundadas, principalmente na Zona Norte, o Departamento Municipal de Limpeza Urbana precisa aguardar que a água recue para dar início ao serviço.

A Secretaria Municipal de Serviços Urbanos ainda aguarda o recuo da água em áreas inundadas para dar início ao serviço nessas outras localidades. Cerca de 800 garis das seções Centro, Extremo-Sul, Norte, Sul e Leste estão atuando nos serviços de limpeza dos bairros mais afetados pela cheia do Guaíba, conforme as águas vão baixando em cada local. Os trabalhadores são auxiliados por mais de 250 equipamentos entre caminhões e retroescavadeiras.

Os comerciantes do Mercado Público também aproveitaram o retorno do sol e retomaram o trabalho de limpeza do prédio histórico. As bancas ficaram submersas e a água passou de um metro e meio de altura no local.

Hoje continua o mutirão de limpeza I Love POA iniciado na quinta-feira, com uma incorporadora e parceiros atuando em ruas dos bairros São Geraldo, Floresta e Navegantes. Os trabalhos contam com 150 profissionais da empresa, 70 voluntários e 140 equipamentos e máquinas de fornecedores e instituições parceiras, sendo 20 caminhões, 20 retroescavadeiras e 90 caçambas.

O Rio Grande do Sul tem 580 mil desalojados e 39.595 pessoas estão em abrigos no Estado, conforme a Defesa Civil estadual. As chuvas afetaram 2,34 milhões de gaúchos. Depois de registrar o pico de ocupação em 13 de maio, com 14.632 pessoas atendidas, a Central de Abrigos da prefeitura de Porto Alegre contabilizou 9.896 acolhidos na noite de quarta-feira, 29.

O número representa uma queda de 32% no uso dos espaços mantidos pelo Executivo, com entidades parceiras e voluntários. A baixa ocorre ao mesmo tempo em que o pacote de soluções habitacionais para atingidos pela enchente foi aprovado na Câmara Municipal.

Entre as seis propostas da prefeitura aprovadas pelo Legislativo está a ampliação do Estadia Solidária, benefício habitacional provisório criado pela atual gestão municipal, e que terá valor e número de parcelas reajustados. Em breve, serão anunciados os detalhes de como as pessoas que estão deixando ou sairão de abrigos poderão acessar esse benefício e quais valores serão depositados. Outra ação prevista pelo município é a flexibilização do Bônus-Moradia e do Compra Compartilhada, soluções habitacionais definitivas para a compra de uma nova casa em local regular.


TAGS:
COMENTÁRIOS

O QUE VOCÊ ACHOU DESSE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO...

Assine nossa NEWSLETTER
Notícias diárias no seu email!
Destaques
Assine nossa NEWSLETTER
Notícias diárias no seu email!
Ao continuar com o cadastro, você concorda com nossos termos de privacidade e consentimento da nossa Política de Privacidade.