Paraná vai ao Mato Grosso apresentar experiência na retirada de vacinação contra febre aftosa

O IV Fórum Estadual de Vigilância para Febre Aftosa, que aconteceu em Campo Grande (MS), teve a participação de técnicos da Adapar, que apresentaram como foi o processo de retirada da febre aftosa no Estado

Publicado em 24/11/2023

Representantes da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar) estiveram participando do VI Fórum Estadual de Vigilância para Febre Aftosa, realizado na sede da Federação da Agricultura e Pecuária do Mato Grosso Sul (Famasul) em Campo Grande (MS) nesta última quarta-feira (22). O fórum abordou temas como a retirada da vacinação no Mato Grosso do Sul, ocorrida em abril deste ano. Também foram pautas do evento o reconhecimento internacional pela atuação contra a enfermidade e os desafios após a conquista o status de área livre de aftosa sem vacinação.

O gerente de Saúde Animal (GSA) da Adapar, Rafael Gonçalves Dias, apresentou o debate sobre a experiência do Paraná na retirada da vacina contra a febre aftosa e na conquista do reconhecimento internacional de Área Livre de Febre Aftosa Livre de Vacinação, junto à Organização Internacional de Saúde Animal – OMSA, em 2020. Rafael Dias compartilhou a experiência do Paraná nos últimos anos, destacando benefícios e desafios da retirada da vacinação contra a febre aftosa no estado.
O gerente de Saúde Animal (GSA) da Adapar, Rafael Gonçalves Dias, representou a entidade no evento
O gerente de Saúde Animal (GSA) da Adapar, Rafael Gonçalves Dias, representou a entidade no evento

Conforme Dias, apresentar a experiência do Paraná para outros estados é uma medida significativa para as regiões que buscam alcançar o status de livre da doença sem vacinação. Esse processo envolve uma série de desafios e decisões estratégicas, e compartilhar experiências com outros estados pode trazer diversos benefícios. “Passar essa experiência é importante principalmente no que se refere à troca de conhecimento técnico, à padronização dos protocolos de vigilância, monitoramento e controle da doença e ao fortalecimento da colaboração entre as diversas entidades envolvidas na erradicação da febre aftosa”, completa Dias.

EXPERIÊNCIA

Com o trabalho do governo estadual junto ao Ministério da Agricultura e Pecuária, setor privado e organismos internacionais, a imunização contra a aftosa foi interrompida em 2019 no Paraná e a campanha de vacinação, que acontecia duas vezes por ano, foi substituída pela de atualização de rebanhos. Atualmente o cadastro é obrigatório para garantir a rastreabilidade e a sanidade dos animais.
RECONHECIMENTO

Em maio de 2021, o Paraná obteve o reconhecimento internacional pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) como área livre de febre aftosa sem vacinação. Essa conquista possibilitou abertura de mercados para as proteínas animais paranaenses e faz da defesa agropecuária do estado uma referência.
O gerente de Saúde Animal (GSA) da Adapar, Rafael Gonçalves Dias, representou a entidade no evento

Evento aconteceu na sede da Federação da Agricultura e Pecuária do Mato Grosso Sul (Famasul) em Campo Grande (MS)

TAGS:
COMENTÁRIOS

O QUE VOCÊ ACHOU DESSE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO...

Destaques
Mais lidas
1
Quedas e oscilações de energia causam prejuízo milionário no campo
2
Arroba do gado pronto tem queda em algumas praças brasileiras
3
Brasil ainda tem fortes pancadas de chuva nesta sexta
4
Mais um dia de forte queda para o complexo da soja em Chicago
5
Soja encerra a semana com mais um dia de queda na Bolsa de Chicago
6
PR está entre os os três maiores exportadores do agronegócio do país em janeiro
7
Conheça o AgroBanker, a nova carreira do agronegócio
8
Calor volta a acelerar a maturação do tomate e preço cai nos atacados
9
Mau cheiro de navio com 19 mil bois do RS surpreende moradores da Cidade do Cabo
10
Goiás quer trabalhar prevenção e controle da cigarrinha do milho na safrinha
Assine nossa NEWSLETTER
Notícias diárias no seu email!



Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.