Pará tenta se ajustar a regras do Parlamento Europeu para exportação de carne

Criadores e donos de frigoríficos recebem orientações sobre rastreabilidade

Publicado em 08/03/2024

Pecuaristas e donos de frigoríficos participaram do Programa de Integridade e Desenvolvimento da Cadeia da Pecuária do Pará, realizado nesta quinta-feira (7), em Xinguara, na região sul do Estado, a 800 quilômetros de Belém, para conhecer detalhes do programa de rastreabilidade de animais, exigido pela Europa para a importação de carne.

A meta do programa é identificar, com a aplicação de brincos e bottons, todos os bovinos e bubalinos movimentados dentro do Estado, para qualquer finalidade, inclusive abate, cria, recria, engorda, leilões e exportação, até 31 de dezembro de 2025.A identificação de todo o rebanho do estado, movimentado ou não, deverá ser concluída até dezembro de 2026.
Animais devem ser identificados por meio de brincos. Foto: Abcar
Animais devem ser identificados por meio de brincos. Foto: Abcar

O Conselho Gestor, que envolve representantes da Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará), entre outros órgãos, trabalha para aproximar e envolver pecuaristas e empresários do setor industrial na elaboração do programa.

Uma das exigências do Parlamento Europeu é o que o gado criado para exportação de carne não seja de áreas desmatadas - regra que vale para todos os países exportadores.



TAGS:
COMENTÁRIOS

O QUE VOCÊ ACHOU DESSE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO...

Destaques
Assine nossa NEWSLETTER
Notícias diárias no seu email!



Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.