Petrolina (PE) vai receber a 12ª rodada do programa Exporta Mais Brasil

Referência da fruticultura brasileira, a cidade pernambucana receberá compradores internacionais de cinco países para se reunirem com 12 produtores de frutas de diferentes estados

Publicado em 03/12/2023

As frutas brasileiras serão as protagonistas da 12ª rodada do Exporta Mais Brasil, programa da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil) que visa ampliar o comércio exterior de setores específicos da economia, de todas as regiões do país. Nos dias 4 e 5 de dezembro, a cidade de Petrolina, no sertão pernambucano, vai receber compradores internacionais do Chile, da Espanha, da República Tcheca, dos Estados Unidos e da Rússia, que farão rodadas de negócios com 12 produtoras, cooperativas e indústrias do setor e poderão conhecer de perto os principais aspectos da fruticultura brasileira.

O programa da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil) trará compradores internacionais de cinco países para se reunirem com 12 produtores de frutas, de diferentes estados. A iniciativa conta com o apoio da Associação Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas e Derivados (Abrafrutas). A arregimentação das empresas teve o apoio da Associação Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas e Derivados (Abrafrutas), parceira da ApexBrasil no projeto setorial Frutas do Brasil. As participantes das rodadas vêm de São Paulo (2), Espírito Santo (1), Bahia (1), Ceará (2) e, sobretudo, Pernambuco (6). O estado e, em especial, a “capital das frutas” Petrolina, estão entre os maiores produtores e exportadores da fruticultura irrigada do país.
Localizada no Vale do São Francisco, a região é agraciada pelo relevo plano, pelo solo fértil e pelas altas incidência de luz solar ao longo do ano, condições ideais para o cultivo de uva, goiaba, manga e outros itens tropicais. Dados recentes da Abrafrutas mostram que a região exportou mais de 390 mil toneladas de frutas para o exterior no último ano, contribuindo significativamente para a balança comercial brasileira.
“No Exporta Mais Brasil, trazemos os compradores internacionais para fazer negócio diretamente com as empresas nacionais. É um mecanismo que acelera o processo da exportação e que de fato funciona, como mostram os números que estamos alcançando”, destaca o presidente da ApexBrasil, Jorge Viana. Com 10 rodadas concluídas, voltadas a diferentes setores da economia, o Exporta Mais Brasil já alcançou a marca de R$ 198 milhões em negócios. O total investido até agora pela ApexBrasil foi de R$ 4 milhões - ou seja, cada 1 real investido pela Agência gerou R$ 50 em negócios imediatos, com a expectativa de ainda mais vendas futuras.
Programação
Na segunda-feira, dia 4, a delegação de compradores internacionais fará visitas técnicas a três importantes polos da produção e da indústria fruticultora em Petrolina. Pela manhã, visitarão a fazenda Santa Felicidade, um negócio familiar dedicado especialmente à produção de uvas e mangas. No mercado desde 1997, o negócio já abastece mercados na Europa, Estados Unidos e Reino Unido.
Na sequência, o grupo vai se dirigir à Valle Fruit, focada no processamento de polpa de frutas congeladas. Lá, poderão acompanhar etapas como recepção, lavagem, despolpamento, congelamento e embalagem. À tarde, conhecerão o cultivo de mangas e uvas da fazenda Grand Valle, que também produz sucos naturais de frutas, sem aditivos ou conservantes.
À noite, o grupo de compradores participará de uma recepção na Faculdade de Petrolina (Facape), ao lado de representantes da instituição, de técnicos da ApexBrasil e de autoridades da Abrafrutas, incluindo seu vice-diretor Waldyr Pomicia. A Facape é parceira da ApexBrasil na execução do Programa de Qualificação para Exportação (PEIEX) em seu polo pernambucano. Entre as empresas participantes das rodadas, sete já passaram pelo PEIEX e têm mirado cada vez mais o mercado internacional.
O dia seguinte, 5, será dedicado às rodadas de negócios em si, também na sede da Facape. Ao longo de todo o dia, os fruticultores terão oportunidade de apresentar sua produção aos compradores internacionais, que poderão fechar negócios imediatamente e/ou recolher contatos para vendas e contratos futuros.
Setor de frutas no Brasil
De acordo com dados da Abrafrutas, em 2022 o Brasil registrou um acréscimo de 18% no volume dos itens comercializados, sendo a Europa o destino de 70% das exportações. Isso representou um aumento de 20% no faturamento, gerando uma receita de US$ 1 bilhão. Os bons resultados do setor são fruto da comercialização dos produtos de aproximadamente 170 mil produtores rurais, em sua maioria médios e pequenos, que vendem suas frutas no mercado doméstico e, eventualmente, no internacional.

Compradores internacionais de cinco países para se reunem com produtores de frutas em Petrolina
Compradores internacionais de cinco países para se reunem com produtores de frutas em Petrolina

Segundo estudo feito pela ApexBrasil em 2022, o Brasil possui atualmente 30 polos de fruticultura, que se estendem do Rio Grande do Sul ao Rio Grande do Norte e Amazonas. Essa vasta produção gera mais de cinco milhões de empregos diretos, que representam 16% da força de trabalho agrícola no Brasil.


Criada em 2014, a Associação Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas e Derivados (Abrafrutas) é uma associação sem fins lucrativos que tem por finalidade representar e promover a fruticultura brasileira junto ao mercado internacional. Conta com aproximadamente 70 associados, que são produtores exportadores de frutas, e detém aproximadamente 85% do volume total das frutas frescas exportadas pelo Brasil.
Em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil), a Abrafrutas desenvolve, desde 2014, o Frutas do Brasil, um projeto de apoio aos exportadores brasileiros na busca por ampliação dos negócios; pela abertura de novos mercados; pelo reconhecimento e diferenciação das frutas brasileiras; e pelo aumento do hábito de consumir frutas doces, saborosas e com qualidade superior.


Sobre o Exporta Mais Brasil
Com o slogan “Rodando o país para as nossas empresas ganharem o mundo”, o programa Exporta Mais Brasil busca uma aproximação ativa com todas as regiões do país para potencializar suas exportações. Por meio da iniciativa, as empresas brasileiras têm a oportunidade de se reunir com compradores internacionais que vêm ao país em busca de produtos e serviços ligados a setores específicos.
Nas rodadas de negócios promovidas pela ApexBrasil, serão congregados ao todo mais de 100 compradores estrangeiros e 300 empresas brasileiras, em uma iniciativa inédita e de alcance nacional. Os compradores participam também de visitas técnicas in loco, a fim de entender melhor como funciona o processo produtivo nacional.
Até o final do ano, o Exporta Mais Brasil terá realizado 13 etapas voltadas para diferentes setores, em 13 estados brasileiros. Até agora, já foram realizadas onze rodadas, com foco em setores como móveis (João Pessoa/PB), pescados (Foz do Iguaçu/PR), cafés Robustas Amazônicos (Cacoal/RO), cervejas artesanais (Rio de Janeiro/RJ) e cosméticos (Goiânia/GO).
Nesta semana, no Acre, foi concluída a 11ª rodada do programa, que se dedica aos produtos amazônicos. A iniciativa marca também o lançamento do Exporta Mais Amazônia, que tem como objetivo impulsionar especialmente as exportações de produtos compatíveis com a floresta. A última rodada do ano será em dezembro, em Brasília (DF), dedicada ao setor de audiovisual.

TAGS:
COMENTÁRIOS
“O conteúdo é muito bom e coloca a disposição das pessoas que gostam de se manterem informadas, o quanto o Sertão do Submédio São Francisco é importante para o agro comércio internacional do país.” - Autor: Tânia Nogueira

O QUE VOCÊ ACHOU DESSE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO...

Assine nossa NEWSLETTER
Notícias diárias no seu email!



Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.