INÍCIO AGRICULTURA Trigo

A cada 10% de redução da área plantada de trigo, setor deixa de faturar R$ 3,7 bi

Apesar das oportunidades apresentadas pelo mercado futuro, produtores estão preocupados com o prelo do trigo
Vandré Dubiela
- Especial para Rural News
Publicado em 13/05/2024

Segundo estudo apresentado pela TF Agroeconômica, a cada 10% de redução na área de plantio, estima-se um prejuízo em torno de R$ 3,7 bilhões para diversos setores, incluindo cooperativas, cerealistas, produtores, moinhos de trigo e até mesmo o governo, que deixa de arrecadar com os insumos e serviços relacionados.

O plantio de trigo no Paraná já alcançou 27% da área prevista até a semana passada, enquanto o Rio Grande do Sul está iniciando os trabalhos nesta segunda quinzena de maio. A informação é do analisa sênior da TF Agroeconômica, Luiz Carlos Pacheco. Contudo, ambos os estados enfrentam a perspectiva de uma redução na área plantada, o que levanta preocupações econômicas significativas.
As operações no mercado futuro oferecem uma oportunidade adicional para a cultura do trigo. Foto Jaelson Lucas/AEN
As operações no mercado futuro oferecem uma oportunidade adicional para a cultura do trigo. Foto Jaelson Lucas/AEN

Os argumentos para essa redução de área incluem o encarecimento dos insumos e os preços aparentemente baixos do trigo. No entanto, contrariando essa percepção, os insumos estão reduzindo de preço e as cotações do mercado futuro para dezembro de 2024 sugerem um preço ao redor de R$ 80/saca, apresentando um lucro de aproximadamente 15% para o trigo.

Apesar das oportunidades apresentadas pelo mercado futuro, muitos produtores expressam preocupações com os preços praticados localmente. Segundo a TF Agroeconômica, os moinhos e as tradings tendem a oferecer valores inferiores aos disponíveis em mercados como Chicago, visando maximizar seus próprios lucros.

No entanto, estratégias como negociar diretamente em mercados internacionais, com o auxílio de cooperativas ou cerealistas, podem proporcionar acesso a preços mais vantajosos. Além disso, as operações no mercado futuro oferecem uma oportunidade adicional, uma vez que não estão vinculadas à entrega da mercadoria, permitindo aos produtores protegerem-se contra eventuais adversidades climáticas ou problemas na colheita.


Sobre o autor Vandré Dubiela

Com mais de três décadas dedicadas ao jornalismo, iniciou a carreira no Jornal O Paraná, de Cascavel, passando pelas principais editorias. Conta com textos e fotografias publicados nos principais meios de comunicação nacional, entre os quais a Folha de São Paulo, Estado de S. Paulo, Gazeta do Povo e Revista Grid. Atuou ainda como produtor da TV Tarobá, afiliada da Band e como editor de portais de notícias. Também é autor do livro AREAC 50 anos – Pioneirismo na defesa e na valorização da agronomia paranaense. Nos últimos anos, se especializou em agronegócio, produzindo reportagens e artigos do gênero, inclusive trabalhos dedicados à OCEPAR (Organização das Cooperativas do Estado do Paraná).
TAGS:
COMENTÁRIOS

O QUE VOCÊ ACHOU DESSE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO...

Assine nossa NEWSLETTER
Notícias diárias no seu email!
Destaques
Assine nossa NEWSLETTER
Notícias diárias no seu email!

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nossos termos de privacidade e consentimento da nossa Política de Privacidade.