Rentabilidade da cultura de tomates depende da genética

Um dos principais fatores para garantir a melhor rentabilidade à cultura de tomates, a genética influencia no tamanho de fruto e na resistência a doenças

Publicado em 31/12/2023

Cada vez mais, otimizar custos para potencializar resultados tem sido a regra nas lavouras brasileiras. Por isso, contar com variedades que entreguem tamanho de fruto e resistência às principais doenças da cultura é vantajoso aos tomaticultores, possibilitando que eles vençam uma maior gama de obstáculos no campo.

O êxito de um negócio envolvendo produção de tomates depende de vários fatores, sendo a genética do material um dos principais para determinar o sucesso do cultivo e, posteriormente, de sua comercialização em uma determinada área. Características como tamanho de fruto e resistência a doenças são prioridades dos produtores ao buscar as sementes ideais para o plantio.
Escolha de uma boa genética é um dos principais atributos da rentabilidade na lavoura e nos pontos de venda
Escolha de uma boa genética é um dos principais atributos da rentabilidade na lavoura e nos pontos de venda

“Em termos de rentabilidade da produção, um tomate com maior tamanho de fruto sai na frente no mercado, pois é indicativo de melhor rendimento produtivo e mais aceito pelos entrepostos comerciais e pelos consumidores finais”, explica Thiago Teodoro, especialista em Tomates e Pimentões.

O Fusarium raça 3 é um dos agentes mais comuns causadores de doença nas lavouras de tomate. Esse fungo traz danos à produção e à qualidade dos frutos, prejudicando o negócio dos tomaticultores. Porém, atualmente, os híbridos conseguem apresentar resistência a essa patologia, mesmo em áreas de alta incidência.

Nesse sentido, um tomate híbrido que reúna, por exemplo, um pacote de resistências essenciais para o produtor, contemplando o Fusarium 3 e as principais viroses, como o geminivírus, pode ser um importante aliado do tomaticultor. “Por meio da tecnologia e da genética, consegue-se hoje reunir em uma única variedade um conjunto de tolerâncias que atende as demandas das principais regiões produtoras, que são Espírito Santo, Rio de Janeiro e Minas Gerais", detalha Teodoro.
A excelente firmeza é uma características que contribui para a maior durabilidade de prateleira dos tomates nas diferentes regiões do Brasil, segundo o profissional. “O tempo que os tomates permanecem em prateleira aumenta a janela em que podem ser comercializados”, pontua.
TAGS:
COMENTÁRIOS

O QUE VOCÊ ACHOU DESSE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO...

Destaques
Mais lidas
1
Detalhado projeto da nova fábrica da Mahindra no RS
2
Ano se inicia com preços do IPPA em queda
3
Após dia de alta, Commodities voltam a cair em Chicago
4
Indicador do algodão sobe e já opera na casa do R$ 4,2/LP
5
Começa hoje a Abertura Oficial da Colheita do Arroz no RS
6
Chuvas em fevereiro aliviam situação de lavoras de café
7
Preços da arroba do boi e da carne seguem pressionadas
8
Indicador do arroz retoma patamar de nov/23
9
Dia de muita chuva em grande parte do Brasil
10
Chuva continua volumosa no Tocantins, Sudeste e Nordeste
Assine nossa NEWSLETTER
Notícias diárias no seu email!



Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.