INÍCIO AGRICULTURA Soja

Mercado aguarda com expectativa relatório do USDA por conta de eventos climáticos no Sul

Relatório do USDA é aguardado para saber os rumos a serem tomados em relação às commodities
Camilo Motter
- Especial para Rural News
Publicado em 10/05/2024

O mercado aguarda com expectativa a divulgação do relatório do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), diante da tragédia climática que assola o Rio Grande do Sul e responsável por dizimar boa parte da agricultura do estado gaúcho. A análise é da Granoeste.


Para o Brasil, o mercado aguarda um corte de pelo menos 2,4 milhões de toneladas na produção de soja deste ano. Foto Albari Rosa / AEN
Para o Brasil, o mercado aguarda um corte de pelo menos 2,4 milhões de toneladas na produção de soja deste ano. Foto Albari Rosa / AEN



A novidade do relatório será as primeiras projeções para a temporada 224/25. A produção dos Estados Unidos para a temporada 2024/25 deve ser projetada na faixa de 120,5 milhões de toneladas, ante 113,4 milhões de toneladas da última campanha. Com maior produção, os estoques finais devem ficar mais robustos, podendo chegar a quase 12 milhões de toneladas, contra 9,3 milhões de toneladas projetadas para este último ciclo.





Os estoques finais do mundo também devem aumentar – são esperados em 112,4 milhões de toneladas para o fim deste ano (em abril eram 114,2 milhões de toneladas) e em 120 milhões de toneladas para o fim de 2024/25.





Para o Brasil, o mercado aguarda um corte de pelo menos 2,4 milhões de toneladas na produção deste ano, para algo como 152,6 milhões de toneladas, ante 155 milhões de toneladas projetadas em abril e 162 milhões de toneladas da temporada 2022/23. A Argentina também deve ter cortes e a colheita tende a ficar logo abaixo de 50 milhões de toneladas.





As importações de soja por parte da China somaram 8,6 milhões de toneladas em abril. Neste ano, o volume chega a 27,2 milhões de toneladas, queda de 3% sobre o mesmo período do ano passado. As informações são do sistema alfandegário do país.





No mercado doméstico, os preços ganham impulso por causa da firmeza do dólar – o que tende a acelerar a participação dos produtores. Os prêmios nos portos vêm se firmando no campo positivo e são indicados na faixa entre 10 e 30 pontos no mercado spot.





Indicações de compra no oeste do Paraná entre R$ 128/130 e em Paranaguá na faixa de R$ 137/139 – dependendo do prazo de pagamento e, no interior, também do local e do período de embarque.






Sobre o autor Camilo Motter

Possui graduação em Jornalismo pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos(1981), graduação em Economia pela Faculdade de Educação, Ciências e Letras de Cascavel(1985), especialização em Teoria Econômica pela Universidade Federal do Paraná(1989) e mestrado em Administração pela Universidade Federal de Santa Catarina(2001). Tem experiência na área de Economia. Atuando principalmente nos seguintes temas:Maximização da Renda, Informação, Comercialização. É diretor da Corretora Granoeste, de Cascavel/PR.
TAGS:
COMENTÁRIOS

O QUE VOCÊ ACHOU DESSE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO...

Assine nossa NEWSLETTER
Notícias diárias no seu email!
Destaques
Assine nossa NEWSLETTER
Notícias diárias no seu email!

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nossos termos de privacidade e consentimento da nossa Política de Privacidade.