INÍCIO AGRICULTURA Soja

Em ritmo lento, plantio da safra de soja dos EUA segue atrasado

Plantio da safra norte-americana segue atrasado e chega a 35%, ante 45% do mesmo ponto do ano passado
Camilo Motter
- Especial para Rural News
Publicado em 14/05/2024

Na manhã desta terça-feira, os contratos negociados com soja em Chicago operam em queda de 11 cents, a US$ 12,08/julho. Na segunda, os primeiros vencimentos registram ganhos de 1 a 6 cents. O mercado segue absorvendo os números do último relatório do USDA, que aumentou a perspectiva de oferta global e de estoque finais na próxima temporada.


Na manhã desta terça-feira, os contratos negociados com soja em Chicago operavam em queda de 11 cents, a US$ 12,08/julho
Na manhã desta terça-feira, os contratos negociados com soja em Chicago operavam em queda de 11 cents, a US$ 12,08/julho

No fim da tarde de segunda-feira, o USDA informou que o plantio da safra norte-americana segue atrasado e chega a 35%, ante 45% do mesmo ponto do ano passado e 34% de média histórica. Dezesseis por cento já está germinado, contra 17% de um ano atrás.



O mercado segue focado no lento ritmo do plantio norte-americano, bem como nas perspectivas de clima para o Meio Oeste. Também, estão no radar as perdas adicionais no Brasil e o atraso da colheita na Argentina. Do lado da demanda, o ponto principal é a projeção de aumento das compras da China, que devem alcançar 109 milhões de toneladas na próxima estação.



O Brasil exportou nas primeiras duas semanas de maio, 5,45 milhões de toneladas de soja – informa a Secex. Na temporada, iniciada em fevereiro, o volume chega a 39,4 milhões de toneladas, ante 39 milhões de toneladas do mesmo período do ano passado.



A Conab acaba de divulgar o oitavo levantamento de safra, indicando a safra brasileira de soja em 147,7 milhões de toneladas, ante 146,5 milhões de toneladas do levantamento de abril. Com este ajuste positivo, a quebra em relação à campanha passada fica em 4,5%, quando foram colhidas 154,6 milhões de toneladas. A companhia ressalta, no entanto, que ainda é cedo para uma avaliação precisa sobre as perdas no Rio Grande do Sul, o que ainda deve impactar o resultado final.



A colheita da safra brasileira está na reta final; segundo a CONAB, alcança 95,6%, ante 97,2% do mesmo ponto do ano passado.



No Mato Grosso, a comercialização da safra chega a 67,4%, ante 66% da mesma época do ano passado - o levantamento é do IMEA. Para 2024/25, a comercialização atinge 10,3% da colheita prevista.



Prêmios nos portos, no mercado spot, giram na faixa entre 10/25 positivos. Indicações de compra no oeste do Paraná entre R$ 127/129 e em Paranaguá na faixa de R$ 136/138 – dependendo do prazo de pagamento e, no interior, também do local e do período de embarque.

Sobre o autor Camilo Motter

Possui graduação em Jornalismo pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos(1981), graduação em Economia pela Faculdade de Educação, Ciências e Letras de Cascavel(1985), especialização em Teoria Econômica pela Universidade Federal do Paraná(1989) e mestrado em Administração pela Universidade Federal de Santa Catarina(2001). Tem experiência na área de Economia. Atuando principalmente nos seguintes temas:Maximização da Renda, Informação, Comercialização. É diretor da Corretora Granoeste, de Cascavel/PR.
TAGS:
COMENTÁRIOS

O QUE VOCÊ ACHOU DESSE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO...

Assine nossa NEWSLETTER
Notícias diárias no seu email!
Destaques
Assine nossa NEWSLETTER
Notícias diárias no seu email!

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nossos termos de privacidade e consentimento da nossa Política de Privacidade.