Clima beneficia lavouras de soja do RS, mas atrasa colheita de milho

Umidade do solo é recomposta em algumas regiões e interrompe trabalhos em outras
Imagem do autor

Publicado em 29/01/2024

O clima da última semana beneficiou as lavouras de soja do Rio Grande do Sul. Com 62% delas em desenvolvimento vegetativo, 30% em floração e 5% em enchimento de grãos, a produção gaúcha da oleaginosa se beneficiou da radiação solar e da diminuição do acúmulo hídrico em algumas áreas.

Outras porções foram favorecidas pela onda de temporais que entrou no Estado nos dias 16 e 17 de janeiro, principalmente onde já se notava falta de água.
Enquanto umidade do solo foi resposta em algumas regiões, interrompeu trabalhos em outras
Enquanto umidade do solo foi resposta em algumas regiões, interrompeu trabalhos em outras

Apesar de os danos terem atingido algumas lavouras de arroz, a chuva severa causou poucos problemas à soja. “Na Fronteira Oeste, em São Gabriel, as lavouras semeadas no início de janeiro sofreram danos pontuais decorrentes da intensa chuva de 16/01, especialmente em áreas declivosas onde a força da água provocou a erosão laminar e arrancou plântulas, situação essa mais evidente em áreas com pouca cobertura de palha”, informou a Emater-RS/Ascar.

O monitoramento fitossanitário, no entanto, mantém-se firme devido à umidade e ao calor. No Oeste do Estado, há relato da presença de percevejo nas lavouras. Entretanto, os produtores têm sido orientados a utilizar inseticidas somente a partir da fase de formação das vagens, pois, nas fases vegetativa e de floração, o impacto desse inseto na cultura é baixo. Em Manoel Viana, há relatos de incremento da população de lagartas em algumas lavouras, exigindo aplicações de inseticidas, que têm sido efetivos no controle.

Já na área de Santa Maria, na região Central do Estado, a preocupação se volta para as aplicações preventivas de fungicidas em decorrência da identificação de esporos de ferrugem-asiática, situação também verificada na região de Soledade, ao Norte do RS.
A safra de milho teve operações de colheita suspensas devido à chuva e a área colhida evoluiu menos que nos períodos anteriores. Conforme levantamento conjuntural da Emater/RS-Ascar, o processo já alcançou 25% das plantações do cereal. “Os resultados continuam variáveis e predominam produtividades abaixo da projeção inicial”, informam os técnicos. O plantio progrediu minimamente, alcançando 97% da área projetada.
TAGS:
COMENTÁRIOS

O QUE VOCÊ ACHOU DESSE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO...

Destaques
Mais lidas
1
Escassez de frutas elevam preços do melão mais uma vez
2
Clima impulsiona aumento de oferta da alfece em SP
3
Público surpreende na Abertura Oficial da Colheita de Arroz e Grãos
4
Governo federal pretende mecanizar a agricultura familiar
5
Dados climáticos são fundamentais para a rentabilidade das culturas
6
Exportações de 873 mil doses foram destaque do mercado de sêmen em 2023
7
Rio Grande do Sul poderá ter temporais de hoje até quinta-feira
8
Preço do milho varia pouco no BR, mas cai com força no mercado externo
9
Demanda do ovo cai, mas a oferta controlada sustenta cotações
10
Com maior interesse comprador, soja tem peço mais firme na semana
Assine nossa NEWSLETTER
Notícias diárias no seu email!



Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.