INÍCIO AGRICULTURA Feiras

Agrishow chega ao terceiro dia mostrando desorganização e caos

Trânsito caótico para chegar ao evento, filas nas bilheterias, quedas de energia elétrica e muita poeira marcam edição 2024 da feira

Caosgrishow. Agrishow + caos. Essa é a conjunção de palavras para definir a organização da maior feira do agronegócio da América Latina O evento, que acontece em Ribeirão Preto, interior de São Paulo, de 29 de abril a 3 e maio, já mostrou em outros anos sua falta de estrutura e desorganização, mas em 2024 parece ter superado. E conseguiu unanimidade junto a expositores, imprensa e visitantesm, que concordam que o evento deixa muito a desejar em organização.

A principal reclamação parte dos expositores são os valores que tem que desebolsar para conseguir participar da feira. Um estande custa em média de 500 mil a 1,2 mihhão de reais. "O que a gente sente é que somos explorados ao máximo. Eles usam a importância da feira para cobrar valores incompatíveis com o que é oferecido", afirma um expositor indignado. "Esse ano, estamos sem internet no estande porque nossa diretoria achou um absurdo pagarmos R$ 8 mil para termos o serviço disponível", complementa.
Agrishow é a mais importante feira do agronegócio da América Latina, mas perde em organização para outras feiras regionais
Agrishow é a mais importante feira do agronegócio da América Latina, mas perde em organização para outras feiras regionais

A falta de estrutura do parque é outro absurdo. Uma feira do porte da Agrishow tem obrigação de oferecer conforto e mobilidade para visitantes e expositores. Quando não estão empoeiradas, as ruas estão enlamaçadas pelos caminhões pipa que ficam jogando água para diminuir a poeira que levanta da movimentação de carros nos estacionamentos e pessoas no parque.

Nessa ediçao de 2024, quando a feira completa 29 anos, uma parte da estrutura do teto da sala de imprensa desmoronou e por pouco não atingiu profissionais que trabalhavam na cobertura do evento. A imprensa, assim como os expositores, é tratada com descaso. Jornalista do Brasil inteiro tiveram que esperar para trabalhar durante a manhã inteira no primeiro dia do evento porque não tinha energia elétrica na sala de imprensa. E quedas de energia eletrica é outro problema que se acentuou nessa edição. Diversos setores da feira sofrem constantemente a falta de energia durante o dia.

Apesar dos investimentos anunciados antes da feira, tanto pela organização, quanto pela prefeitura de Riberião Preto, não se vê diferença na estrutura do evento. O estacionamento, que em todas as outras grandes feiras do agronegócio nacional é gratuito, é de difícil acesso e longe da feira. Quem vem de carro tem que embarcar em ônibus, sujos e velhos, para chegar até a entrada do parque.

Expositores e imprensa tem que ficar em enormes filas para entrar no parque. Muito diferente de feiras como Expidireto, Show Rural Coopavel e Tecnoshow, onde os profissionais de imprensa tem espaços compatíveis para trabalharem e divulgarem adequadamente o evento.

Se tudo continuar assim e a organização da feira não repensar o formato do evento, a Agrishow vai chegar aos 30 anos como a maior e mais desorganizada feira do agronegócio da América Latina.






Agrishow é a mais importante feira do agronegócio da América Latina, mas perde em organização para outras feiras regionais

TAGS:
COMENTÁRIOS

O QUE VOCÊ ACHOU DESSE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO...

Assine nossa NEWSLETTER
Notícias diárias no seu email!
Destaques
Assine nossa NEWSLETTER
Notícias diárias no seu email!

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nossos termos de privacidade e consentimento da nossa Política de Privacidade.