INÍCIO AGRICULTURA Cotidiano

Peça de foguete da Space X cai em lavoura

Produtor vai capitalizar descoberta inusitada e com o recurso a ser arrecadado, construir uma pista de hóquei
Vandré Dubiela
- Exclusivo Rural News
Publicado em 18/05/2024

A vasta extensão das terras de Saskatchewan, no Canadá, é palco de uma descoberta que mescla o cotidiano rural com a fascinação pelo cosmos: um pedaço de 40 kg de um foguete da SpaceX, encontrado pelo fazendeiro Barry Sawchuk, de 66 anos, em sua lavoura. Esta peça, com dois metros de largura, é um fragmento do compartimento de carga do foguete Dragon, que retornou à atmosfera terrestre em fevereiro após uma missão à Estação Espacial Internacional.

O achado surpreendente de Sawchuk começou com o que parecia ser apenas mais um item de lixo na paisagem rural. Contudo, ao perceber as camadas de fibra de carbono e alumínio, sua intuição lhe indicou que estava diante de algo excepcional.
Encontro improvável entre rural e o cósmico: em um primeiro momento, produtor confundiu material com lixo
Encontro improvável entre rural e o cósmico: em um primeiro momento, produtor confundiu material com lixo

A confirmação veio dos especialistas em astronomia, que vincularam o objeto à missão da SpaceX que trouxe quatro astronautas de volta à Terra. Agora, Sawchuk planeja capitalizar essa inusitada descoberta, vendendo o pedaço de lixo espacial e direcionando os lucros para um projeto comunitário: a construção de uma pista de hóquei.

"Estamos construindo uma pista de hóquei. Acho que, se puder, vou vender [a peça]. Parte dos lucros irá para a pista", compartilha o produtor rural. Este episódio não é único: em 2022, destroços semelhantes foram encontrados em uma fazenda na Austrália, e em 2021, em Washington, nos Estados Unidos.

O aumento das missões espaciais privadas está contribuindo para uma crescente incidência de detritos espaciais caindo na Terra. Segundo a NOAA, entre 200 e 400 objetos espaciais rastreados reentram na atmosfera do planeta anualmente.

Atualmente, estima-se que haja cerca de 170 milhões de fragmentos de lixo espacial orbitando a Terra, mas apenas cerca de 1.000 são espaçonaves ativas. A professora de astronomia Samantha Lawler, da Universidade de Regina, expressa preocupação com o aumento da frequência de lançamentos e reentradas espaciais, alertando para o risco de danos e até mesmo mortes, caso os detritos atinjam áreas povoadas.

Até o momento, a SpaceX ainda não se manifestou sobre o incidente, enquanto o fascínio por esse encontro improvável entre o rural e o cósmico continua a ecoar em Saskatchewan.


Sobre o autor Vandré Dubiela

Com mais de três décadas dedicadas ao jornalismo, iniciou a carreira no Jornal O Paraná, de Cascavel, passando pelas principais editorias. Conta com textos e fotografias publicados nos principais meios de comunicação nacional, entre os quais a Folha de São Paulo, Estado de S. Paulo, Gazeta do Povo e Revista Grid. Atuou ainda como produtor da TV Tarobá, afiliada da Band e como editor de portais de notícias. Também é autor do livro AREAC 50 anos – Pioneirismo na defesa e na valorização da agronomia paranaense. Nos últimos anos, se especializou em agronegócio, produzindo reportagens e artigos do gênero, inclusive trabalhos dedicados à OCEPAR (Organização das Cooperativas do Estado do Paraná).
TAGS:
COMENTÁRIOS

O QUE VOCÊ ACHOU DESSE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO...

Assine nossa NEWSLETTER
Notícias diárias no seu email!
Destaques
Assine nossa NEWSLETTER
Notícias diárias no seu email!
Ao continuar com o cadastro, você concorda com nossos termos de privacidade e consentimento da nossa Política de Privacidade.
Arquivo XML geradoArquivo XML geradoArquivo XML geradoArquivo XML geradoArquivo XML geradoArquivo XML geradoArquivo XML gerado