Estados do Sul turbinam importação de trigo da Argentina

Com estoque até o final de janeiro, moageiras pressionam o mercado interno e aguardam produtor vender o cereal para abrir espaço à safra de verão nos armazéns

Publicado em 09/01/2024

Após quebra na safra 2023/2024 de trigo devido ao fenômeno El Niño, os moinhos abrem 2024 com forte investimento na compra da matéria-prima argentina. Segundo a consultoria TF Agroeconômica, de Curitiba (PR), os portos dos três estados da região Sul (Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul) devem receber, nos próximos dias, 134,5 mil toneladas do cereal. Mais 232 mil toneladas estão em processo de embarque para o Brasil, mas têm como destino também as beneficiadoras das regiões Sudeste e Nordeste.

Os preços praticados, por enquanto, oscilam entre US$ 282 e US$ 285. “Algo como R$ 1.425,00/t, dependendo do frete até o porto”, informou a TF Agroeconômica em balanço divulgado em 5 de janeiro. Os valores são 9,61% mais altos que os atualmente praticados na aquisição de trigo nacional tipo 1 CIF.

Foto: Diogo Zanatta / Embrapa
Foto: Diogo Zanatta / Embrapa

Abastecidos até o final de janeiro, as indústrias tritícolas aproveitam as importações para diminuir a pressão da demanda. |Enquanto isso, aguardam que os produtores decidam a vender o cereal ainda estocado a preços mais baixos, já que precisam abrir espaço, nos armazéns, para receber as safras de verão.


De acordo com o terceiro e último Boletim de Safra da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a região Sul teve quebra de 29,6% na safra 2023/2024 de trigo devido ao excesso de chuva. Em 2022, a safra do PR, SC e RS, os principais produtores do grão no país, chegou a 9,7 milhões de toneladas. No entanto, em 2023, não chegou a 7 milhões de toneladas (6,8 milhões de t).


Só no Rio Grande do Sul o recuo foi de 49,5%, ante a colheita de 2022. Das 5,7 milhões de toneladas consolidadas pela autarquia no ciclo anterior, o estado colheu 2,9 milhões de toneladas, das quais 70% não prestam à panificação. O Paraná alcançou 3,6 milhões de toneladas, frente às 3,5 milhões de t do ano passado, contrariando a tendência de queda também verificada em Santa Catarina (- 34%).

Com a produção do grão no Centro-Oeste, no Sudeste e no Nordeste, a Conab consolidou a safra nacional de trigo do ciclo 2023/2024 em 8,14 milhões de toneladas. O resultado é 22,8% menor que o da safra passada, contabilizada pela companhia em 10,55 milhões de t.

TAGS:
COMENTÁRIOS

O QUE VOCÊ ACHOU DESSE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO...

Destaques
Mais lidas
1
Agro é destaque no fechamento do PIB nacional de 2023
2
Pecuária leiteira vive seu pior momento no Brasil, apontam líderes do setor
3
24ª Expodireto Cotrijal começa nesta segunda-feira
4
Decisão do Ibama divide opiniões sobre uso de inseticida letal a abelhas
5
Despejo de chorume rende multa a empresa ambiental
6
Exportação de gengibre cresce 114% em janeiro no Espírito Santo
7
Fábrica de fertilizantes de MG deve ser inaugurada dia 13
8
RS terá uma rápida prévia do outono
9
Pavilhão da Agricultura Familiar promete ser um dos destaques da 24ª Expodireto Cotrijal
10
Média nominal da mandioca cai para níveis de 2021
Assine nossa NEWSLETTER
Notícias diárias no seu email!



Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.