INÍCIO AGRICULTURA Tecnologia

Os benefícios do blockchain para o aumento da segurança e transparência no agronegócio

Diego Guareschi

Nos últimos anos, em um cenário em que a preocupação com a segurança alimentar e as práticas ESG estão cada vez mais em foco, conhecer a origem dos itens adquiridos se tornou algo essencial para comerciantes e consumidores que preferem comprar de produtores que respeitam esses princípios. Diante disso, o blockchain surge como uma solução que permite rastrear toda a cadeia de suprimentos agrícolas, desde o plantio até o destino final.



Embora sua aplicação no setor do agronegócio ainda seja relativamente nova, as perspectivas de crescimento são promissoras. Segundo o estudo divulgado pela MarketsandMarkets, empresa de pesquisa e consultoria de mercados, prevê que os investimentos globais em blockchain na área de agricultura e alimentos atinjam U$S 948 milhões até 2025, configurando uma taxa de crescimento anual composta de 48,1% face a 2020, quando os números alcançaram a marca de U$S 133 milhões.



Os dados apontam um crescimento no setor do agronegócio, isso se deve, principalmente pela segurança que a tecnologia blockchain trás e por criar sistemas de certificação e rastreabilidade que garantam a origem sustentável dos produtos, beneficiando tanto os consumidores quanto os produtores. Então, posso afirmar que explorar e adotar essa tecnologia de maneira estratégica, é a certeza de colher benefícios significativos que podem impulsionar ainda mais o crescimento, a competitividade e a confiança no mercado.



Isso porque essa tecnologia oferece uma série de vantagens, atendendo às necessidades do mercado por mais transparência, enquanto impulsiona a eficiência e sustentabilidade em todas as etapas de produção. De forma geral, o blockchain funciona como um grande banco de dados descentralizado e à prova de fraudes, uma vez que registra cada operação em blocos encadeados e imutáveis, permitindo posteriormente analisar as informações armazenadas por meio de um verificador.



Um bom exemplo disso é o uso de QR Codes nas embalagens dos produtos, que quando escaneados disponibilizam dados como a utilização de água, fertilizantes e energia no cultivo, assim como a quantidade de carbono emitida no processo. Paralelamente, a ferramenta também auxilia o produtor a ter um melhor controle de suas operações, otimizando tempo e recursos ao unificar tudo em uma só plataforma.



Ademais, a implementação do blockchain reduz a necessidade de intermediários, como bancos e revendedores, viabilizando contato direto entre produtores e consumidores. Assim, é possível reduzir despesas e acelerar as transações a partir dessa descentralização da cadeia de produção, o que permite um maior controle sobre o fluxo de mercadores para os fornecedores, aumentando a eficiência e economia.

Por fim, ao difundir a transparência e rastreabilidade, o blockchain é capaz de contribuir substancialmente para garantir um maior comprometimento com a agenda ESG de um dos importantes setores da economia brasileira, promovendo segurança e confiança entre todos os envolvidos. Nos próximos anos, podemos esperar que seu uso continue a crescer no país, impulsionando a inovação no agronegócio e aumentando a competitividade no mercado a nível nacional e internacional.

*Diego Guareschi é CMO da Hathor


TAGS:
COMENTÁRIOS

O QUE VOCÊ ACHOU DESSE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO...

Assine nossa NEWSLETTER
Notícias diárias no seu email!
Destaques
Assine nossa NEWSLETTER
Notícias diárias no seu email!

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nossos termos de privacidade e consentimento da nossa Política de Privacidade.