Com o objetivo de defender a agricultura brasileira, o Instituto Ação Verde vai à COP 2023

O presidente do Instituto Ação Verde e vice-presidente leste da Aprosoj/MT vai à conferência apresentar os projetos de sustentabilidade da agricultura do Estado do Mato Grosso

Publicado em 01/12/2023

Com a proximidade da COP 28, boa parte dos holofotes estará voltada para o setor agropecuário brasileiro, pois, além da segurança alimentar, as boas práticas no agro são determinantes para mitigar emissões de gases do efeito estufa. A 28ª Conferência de Mudanças Climáticas da Organização das Nações Unidas(COP 28) ocorrerá entre os dias 30 de novembro e 12 de dezembro, em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos.

O presidente do Instituto Ação Verde (IAV), Luiz Pedro Bier, que também é vice-presidente Leste da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT), vai levar à conferência projetos mostrando as ações dos agricultores brasileiros em prol da sustentabilidade e diversidad, além da captura de carbono feita pela agricultura, que contribui para a descarbonização do planeta.
Dubai, nos Emirados Árabés, será a sede da conferência em 2023
Dubai, nos Emirados Árabés, será a sede da conferência em 2023

Luiz Bier também vai buscar parceiros dispostos a pagarem pelos serviços ambientais brasileiros. “Esse é um tema muito importante e a gente acredita que quem preserva, quem tira carbono do meio ambiente deve ser remunerado por isso. O intuito é encontrar parceiros para que a preservação ambiental, a descarbonização seja remunerada financeiramente, que o mundo pague o serviço ambiental que o produtor brasileiro presta”, reforça.
O setor produtivo brasileiro é alvo frequente de ataques. Somos, muitas vezes, atacados com inverdades e temos que ocupar esses espaços para mostrar que a agricultura brasileira é sustentável, mostrar as atitudes que o agricultor faz, que não tem igual
Luiz Pedro Bier, vice-presidente eleito da Aprosoja-MT.

De acordo com Bier, dentre os projetos que serão apresentados estão o MAPADOCAR, Guardião das Águas, Soja Legal, Inova CPR e a plataforma PNBSAE.

Essa é a primeira vez que um representante do setor da produção de soja e milho de Mato Grosso participa da Conferência das Partes da Organização das Nações Unidas (ONU), levando o trabalho feito pelo produtor “da porteira para dentro” em prol da sustentabilidade.
De acordo com o presidente eleito da Aprosoja-MT, Lucas Costa Beber, a entidade continuará levando de forma ainda mais intensa as informações da sustentabilidade do agro para o mundo.

“Essa pegada de sustentabilidade, de meio ambiente, é um foco que a gente tem que ter hoje, até por conta dos mercados internacionais, precisamos fazer uma maior divulgação. Ou seja, a gente pretende expandir, não só aqui no Brasil, mas mundialmente, a divulgação das boas práticas feitas pelos produtores do Mato Grosso”, disse Lucas Costa Beber.

Projetos que serão apresentados:
MAPADOCAR: É um projeto para solucionar a questão de sobreposição de áreas no Cadastro Ambiental Rural (CAR), principal motivo para devolução do cadastro. O MAPADOCAR tem uma ampla base de dados, como imagens de Satélites, Bases Mundiais e Federais, Cartas Topográficas, Bases Estaduais, Base Geográfica 1:25.000 da FBDS, Mapa dos Biomas, Mapa Político Administrativo e Rodoviário, dentre outras.

Inova CPR: É uma ferramenta que busca incluir o produtor rural no mercado de crédito de carbono, além de ajuda-lo a identificar as potencialidades dos ativos ambientais em suas propriedades. Ademais, também busca conectar parceiros para financiar os projetos de crédito de carbono.

PNBSAE: A Plataforma de Negócios em Bens e Serviços Ambientais e Ecossistêmicos de Mato Grosso é uma ferramenta que facilita o acesso das empresas aos projetos desenvolvidos para mitigação de mudanças climáticas, fornecendo um serviço que garante transparência, confiabilidade, rastreabilidade e credibilidade para os créditos de carbono transacionados.
Soja Legal: É um programa de melhoria contínua da Aprosoja-MT, que busca orientar o produtor por meio de um diagnóstico de sua propriedade, com a aplicação de um questionário com mais de 200 perguntas sobre o Código Florestal, direitos trabalhistas, previdência, segurança, saúde, uso da terra e água, fontes de energias, saneamento, boas práticas agrícolas, edificações rurais, regularização agrícola, dentre outros temas. O programa está presente em mais de 3,2 milhões de hectares, em 1,6 mil propriedades, com capacidade de produzir 11,6 milhões de toneladas da oleaginosa.

Guardião das Águas: É um projeto que faz levantamento e cataloga nascentes dentro das propriedades que produzem soja e milho em Mato Grosso. O projeto iniciou em 2017, no município de Tapurah, identificando mais de 800 nascentes e hoje está presente em 57 municípios do estado e tem mais de 105 mil nascentes identificadas e catalogadas. Desse total, mais de 95% das nascentes estão em bom estado de conservação.

O Instituto Ação Verde

O Instituto Ação Verde é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), atuando no fomento, implementação e certificação de ações ambientais e sociais do setor produtivo mato-grossense. A Aprosoja-MT, Federação das Indústrias de MT (Fiemt) e as Indústrias de Bioenergia de MT (Bioind-MT) são parceiros do Ação Verde.
Dubai, nos Emirados Árabés, será a sede da conferência em 2023

Luiz Pedro Bier, presidente do Instituto Ação Verde

TAGS:
COMENTÁRIOS

O QUE VOCÊ ACHOU DESSE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO...

Destaques
Mais lidas
1
Quedas e oscilações de energia causam prejuízo milionário no campo
2
Arroba do gado pronto tem queda em algumas praças brasileiras
3
Brasil ainda tem fortes pancadas de chuva nesta sexta
4
Mais um dia de forte queda para o complexo da soja em Chicago
5
Soja encerra a semana com mais um dia de queda na Bolsa de Chicago
6
PR está entre os os três maiores exportadores do agronegócio do país em janeiro
7
Conheça o AgroBanker, a nova carreira do agronegócio
8
Calor volta a acelerar a maturação do tomate e preço cai nos atacados
9
Mau cheiro de navio com 19 mil bois do RS surpreende moradores da Cidade do Cabo
10
Goiás quer trabalhar prevenção e controle da cigarrinha do milho na safrinha
Assine nossa NEWSLETTER
Notícias diárias no seu email!



Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.