Sinais de deficiência hídrica preocupam sojicultor gaúcho

Sequência de dias quentes e secos reduz rapidamente a umidade do solo e aumenta a evapotranspiração das plantas em regiões baixas
Imagem do autor

Publicado em 03/02/2024

Desde que a onda de tempestades vinda da Argentina e do Uruguai invadiu o Rio Grande do Sul, em 16 e 17 de janeiro, os sojicultores não mais viram voluma expressivo de chuva no Estado. Apesar de haver precipitações de verão pontuais de lá para cá, a falta de água começou a preocupar.


Falta de água começou a preocupar produtores de grãos do estado
Falta de água começou a preocupar produtores de grãos do estado

A apreensão deve crescer nesta semana, já que a previsão meteorológica da Secretaria da Agricultura do Estado (Seapi) aponta para tempo firme e seco em todas as regiões gaúchas. Conforme Boletim Agrometeorológico da pasta, realizado em conjunto com a Emater-RS/Ascar e com o Instituto Rograndense do Arroz (Irga), as temperaturas devem superar os 35°C a partir de segunda-feira, aproximando-se dos 40°C em algumas regiões.
Não é a situação ideal, mas o produtor vive à mercê do clima.
Alencar Rugeri

Entretanto, pancadas de chuva pontuais são esperadas.


De acordo com o engenheiro agrônomo da Emater/RS-Ascar, Alencar Rugeri, verifica-se um quadro com grande evapotranspiração das plantas devido ás altas temperaturas e à rápida redução de umidade do solo. A situação é mais evidente nas áreas com baixa cobertura de palha, nos solos de menor profundidade e nas topografias onduladas, onde o volume precipitado não foi retido.



Apesar de o cenário de deficiência hídrica gerar apreensão no campo, não pode ser caracterizado como de estiagem, lembra Rugeri. "Não é a situação ideal, mas o produtor vive à mercê do clima. E não quer dizer que a situação vá diminuir a produtividade. O que se vê são plantas reagindo à falta de água", afirma.


O boletim semanal da Emater-RS/Ascar aponta que 50% da oleaginosa está em germinação e desenvolvimento vegetativo, 32% em floração e 18% em enchimento de grãos. De modo geral, as plantas estão bem desenvolvidas e com desenvolvimento favorável. O prognóstico inicial da agência de extensão rural aponta para um safra de soja de 22,44 milhões de toneladas no Rio Grande do Sul, com produtividade média de 3.327 quilos por hectare.


TAGS:
COMENTÁRIOS

O QUE VOCÊ ACHOU DESSE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO...

Destaques
Mais lidas
1
Detalhado projeto da nova fábrica da Mahindra no RS
2
Ano se inicia com preços do IPPA em queda
3
Após dia de alta, Commodities voltam a cair em Chicago
4
Indicador do algodão sobe e já opera na casa do R$ 4,2/LP
5
Começa hoje a Abertura Oficial da Colheita do Arroz no RS
6
Chuvas em fevereiro aliviam situação de lavoras de café
7
Preços da arroba do boi e da carne seguem pressionadas
8
Indicador do arroz retoma patamar de nov/23
9
Dia de muita chuva em grande parte do Brasil
10
Chuva continua volumosa no Tocantins, Sudeste e Nordeste
Assine nossa NEWSLETTER
Notícias diárias no seu email!



Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.