Fávaro prevê para março novas medidas do plano safra

Titular da pasta da Agricultura afirma que setor passa por momento difícil, mas que não há motivo para alarmismo
Imagem do autor
- Especial para Rural News
Publicado em 06/02/2024

O ministro da Agricultura e Pecuária, Carlos Fávaro, disse, na tarde desta segunda-feira (05), na reunião do Conselho Superior do Agronegócio, da Fiesp, na capital paulista, que o agro passa por um momento difícil, mas longe de uma crise estrutural.

Intempéries climáticas, provocadas sobretudo pelo fenômeno climático El Niño, que acarretou em seca e temperaturas elevadas no Brasil Central e chuvas volumosas no Sul, comprometeram o potencial produtivo das lavouras; custos acima da média; e preços das principais commodities agrícolas, em particular os grãos, achatados geram, segundo Fávaro, uma conjuntura de descasamento da renda do produtor com a necessidade de pagamento dos compromissos financeiros, mas que não há motivo para alarmismo.

De acordo com o ministro, o governo federal deverá anunciar até o final do mês, no máximo início de março, novas medidas de apoio aos produtores. "Apresentamos o cenário para o ministro Haddad [Fazenda], e juntos iremos levar sugestões de propostas ao presidente Lula, que irá decidir." Na última sexta-feira (02), o BNDES divulgou que irá disponibilizar R$ 6 bilhões para dar suporte ao produtor, recursos que serão distribuídos em linhas de financiamento em dólar, para quem tem operações dolarizadas, bem como para cooperativas de crédito.

Seguro rural

Em relação ao seguro rural, Fávaro já afirmou, publicamente, que o modelo atual não mais funciona. O ministro adiantou na Fiesp, que o Mapa trabalha no redesenho do formato, buscando introduzir maior uso de tecnologia da informação - inclusive Inteligência Artificial -, a fim de diminuir o risco climático do produtor.

O objetivo é dar mais exatidão na formulação das apólices, considerando dados de clima, solo, entre outros da área segurada, com o intuito de criar um quadro de maior previsibilidade para eventual ocorrência de sinistros.
Este formato pode levar à diminuição no valor do prêmio - preço pago pelo seguro - em uma esteira que ao mesmo tempo pode dar mais fôlego aos recursos da subvenção.


Sobre o autor

Ronaldo Luiz é jornalista, com mais de 20 de trajetória no agronegócio. É editor dos Portais Uagro/DATAGRO, repórter especial da revista Plant Project, do site CenárioAgro e apresentador do talk show digital AgroPapo. É ainda colunista no Jornal Mato Grosso no Ar, distribuído para mais de 60 rádios de Mato Grosso, bem como do Portal RuralNews. Administra o grupo SouAgro no LinkedIn, que conta mais de 60 mil participantes. É proprietário da agência ComResultado - www.comresultado.com.br.
TAGS:
COMENTÁRIOS

O QUE VOCÊ ACHOU DESSE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO...

Destaques
Mais lidas
1
Detalhado projeto da nova fábrica da Mahindra no RS
2
Ano se inicia com preços do IPPA em queda
3
Após dia de alta, Commodities voltam a cair em Chicago
4
Indicador do algodão sobe e já opera na casa do R$ 4,2/LP
5
Começa hoje a Abertura Oficial da Colheita do Arroz no RS
6
Chuvas em fevereiro aliviam situação de lavoras de café
7
Preços da arroba do boi e da carne seguem pressionadas
8
Indicador do arroz retoma patamar de nov/23
9
Dia de muita chuva em grande parte do Brasil
10
Chuva continua volumosa no Tocantins, Sudeste e Nordeste
Assine nossa NEWSLETTER
Notícias diárias no seu email!



Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.