Mercado do boi deve ter pequena turbulência em breve

Além das escalas estarem bem fechadas, os preços no mercado atacadista paulista têm recuado, diferente da firmeza vista na virada do ano e primeira semana, segundo as informações do Intercarnes
Imagem do autor
- Especial para Rural News
Publicado em 22/01/2024

As escalas da indústria frigorífica estão subindo, em especial nos estados de São Paulo, Goiás e Mato Grosso do Sul. Os negócios têm ocorrido, com algumas vendas de animais abaixo do peso potencial, mas os animais não estão “prontos”, a falta de pastagens no Centro Sul do Brasil, impede uma terminação adequada e o abate de fêmeas, tônica em 2023, segue neste mês de janeiro/24, com uma ampliação de oferta.

O mercado físico ainda não reflete, bruscamente, o cenário, mas já é refletido na negociação dos contratos de mercado futuro. Contudo, a questão é que os argumentos para uma pressão da indústria, já está é presente no curto prazo, no mercado físico.
Novo cenário já é refletido na negociação dos contratos de mercado futuro
Novo cenário já é refletido na negociação dos contratos de mercado futuro

Além das escalas estarem bem fechadas, os preços no mercado atacadista paulista têm recuado, diferente da firmeza vista na virada do ano e primeira semana, segundo as informações do Intercarnes.

Todavia, as exportações seguem aquecidas, com bons volumes embarcados. De acordo com a Secex, Secretaria de Comércio Exterior, em 14 dias úteis, as exportações parciais de janeiro, atingiram 123,02 mil toneladas. A questão segue sendo o preço da tonelada em US$ 4,509 mil .

A expectativa é de pressão negativa entre janeiro e fevereiro, com recuperação de preços por conta do Carnaval, salários do começo de mês e exportações. Os preços mais sólidos devem perdurar em parte fevereiro, março e, provavelmente, abril.

Sobre o autor

Fabiano Reis é jornalista econômico, especialista em Marketing rural e mestre em Produção e Gestão Agroindustrial. Editor de economia e agricultura do Canal do Boi, onde apresenta o programa AgriculturaBR. É colunista econômico em diversos veículos de imprensa. Professor universitário nos cursos de Administração e Comunicação Social. Palestrante nas áreas de comunicação e agronegócio; Apresentador de eventos e feiras. Publicou os livros Reflexos sobre o nada nos mares do Pantanal, Life Editora, 2011 (livro poesias); A interação da pecuária brasileira, Nelore MS, 2012; Nelore: mostra a força de uma raça, Nelore MS, 2010; O perfil do comércio varejista de carne bovina de Campo Grande-MS, dissertação de mestrado, UNIDERP, 2005; Redação e revisão do livro Organização e Valor para Comércio Varejista de Carne, SEBRAE, 2004.
TAGS:
COMENTÁRIOS

O QUE VOCÊ ACHOU DESSE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO...

Destaques
Mais lidas
1
Escassez de frutas elevam preços do melão mais uma vez
2
Clima impulsiona aumento de oferta da alfece em SP
3
Público surpreende na Abertura Oficial da Colheita de Arroz e Grãos
4
Governo federal pretende mecanizar a agricultura familiar
5
Dados climáticos são fundamentais para a rentabilidade das culturas
6
Exportações de 873 mil doses foram destaque do mercado de sêmen em 2023
7
Rio Grande do Sul poderá ter temporais de hoje até quinta-feira
8
Preço do milho varia pouco no BR, mas cai com força no mercado externo
9
Demanda do ovo cai, mas a oferta controlada sustenta cotações
10
Com maior interesse comprador, soja tem peço mais firme na semana
Assine nossa NEWSLETTER
Notícias diárias no seu email!



Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.