Ministério da Agricultura quer reorganizar seguro rural

O secretário de Política Agrícola Neri Geller afirmou nesta quinta, (18/01), no webinar Perspectivas da safra 2023/24 que a pasta quer reorganizar o modelo de seguro rural
Imagem do autor
- Especial para Rural News
Publicado em 18/01/2024

O secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), Neri Geller, disse, nesta quinta-feira (18), no webinar "Perspectivas da safra 2023/24", organizado pelo Sistema Ocepar, que a pasta está endereçando esforços para reorganizar o modelo de seguro rural, com o objetivo de que, de fato, os produtos privados de riscos agrícolas cheguem em condições acessíveis ao produtor.

Em 2023, apenas 6,25 milhões de hectares agrícolas contaram com algum tipo de cobertura, o que não dá nem 10% da área destinada à produção agropecuária, mostram dados do próprio Mapa. No ano passado, foram subvencionadas apenas pouco mais de 107 mil apólices para cerca de 70 mil produtores. De acordo com a Confederação Nacional das Seguradoras (CNseg), a maior parte das apólices estão localizadas na região Sul, com as demais praticamente desassistidas.
Neri Geller afirmou que é preciso democratizar novas modalidades de financiamento
Neri Geller afirmou que é preciso democratizar novas modalidades de financiamento

Além disso, inicialmente dotado de uma cifra de R$ 1,06 bilhão, o Programa de Subvenção do Seguro Rural de 2023 teve seu orçamento reduzido para R$ 933 milhões. Os desafios, então, são muitos. Segundo Geller, neste cenário também é preciso, claro, considerar o lado das seguradoras e resseguradoras, criando um ambiente de previsibilidade para o pagamento do prêmio - valor da apólice pago pelo produtor.

Em sua fala, o secretário disse, ainda, que o Mapa também quer reformular o Programa de Garantia da Atividade Agropecuária (Proagro), embora não tenha dado detalhes. O Proagro é voltado para garantir o pagamento das parcelas do crédito de custeio da produção. Pode ser utilizado por quem produz em caso de perda de receita em decorrência de eventos climáticos, pragas ou doenças que afetam a lavoura.

Crédito ruralNo que diz respeito ao financiamento agrícola, o secretário ressaltou que é preciso, por exemplo, democratizar novas modalidades de financiamento, ancoradas em fontes privadas, como, por exemplo, as Letras de Crédito do Agronegócio (LCAs). Em relação a negociações para o futuro Plano Safra, Geller pontuou que o Mapa trabalhará junto à equipe econômica por redução nas taxas de juros -, porque há espaço, segundo ele, devido à queda da Selic. Além disso, outro objetivo é elevar o montante de recursos contemplado com a equalização - amortecimento dos juros.

Sobre o autor

Ronaldo Luiz é jornalista, com mais de 20 de trajetória no agronegócio. É editor dos Portais Uagro/DATAGRO, repórter especial da revista Plant Project, do site CenárioAgro e apresentador do talk show digital AgroPapo. É ainda colunista no Jornal Mato Grosso no Ar, distribuído para mais de 60 rádios de Mato Grosso, bem como do Portal RuralNews. Administra o grupo SouAgro no LinkedIn, que conta mais de 60 mil participantes. É proprietário da agência ComResultado - www.comresultado.com.br.
TAGS:
COMENTÁRIOS

O QUE VOCÊ ACHOU DESSE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO...

Destaques
Mais lidas
1
Detalhado projeto da nova fábrica da Mahindra no RS
2
Ano se inicia com preços do IPPA em queda
3
Após dia de alta, Commodities voltam a cair em Chicago
4
Indicador do algodão sobe e já opera na casa do R$ 4,2/LP
5
Começa hoje a Abertura Oficial da Colheita do Arroz no RS
6
Chuvas em fevereiro aliviam situação de lavoras de café
7
Preços da arroba do boi e da carne seguem pressionadas
8
Indicador do arroz retoma patamar de nov/23
9
Dia de muita chuva em grande parte do Brasil
10
Chuva continua volumosa no Tocantins, Sudeste e Nordeste
Assine nossa NEWSLETTER
Notícias diárias no seu email!



Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.