Frente fria chega ao Rio Grande do Sul com ventos de 140 km/h

A madrugada foi de vendavais, que provocaram destelhamentos, quedas de árvores e corte de energia
Imagem do autor

Publicado em 21/03/2024

A chegada de frente fria vinda do Uruguai e da Argentina formou uma linha de tempestades que cruzou o Rio Grande do Sul na madrugada desta quinta-feira com vendavais por diversas áreas. As regiões mais castigadas pelo tempo severo foram a Fronteira Oeste, Zona Sul, Centro e Região Metropolitana.

Uma linha de tempestades se formou de Oeste a Leste do Estado por centenas de quilômetros se deslocando de Sul para Norte. Essa linha de tempestades era formada por nuvens de grande desenvolvimento vertical com topo frio e alta incidência de raios. O deslocamento foi muito rápido e, em cerca de três horas, a linha avançou da fronteira com o Uruguai até atingir a região central do Estado.Porto Alegre começou a registrar ventania e chuva por volta das 4h50min. A capital gaúcha teve rajadas de vento de até 90 quilômetros por hora. Os fortes ventos derrubaram muros, árvores e postes de energia elétrica. Dezenas de cruzamentos com semáforos ficaram fora de operação, de acordo com a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC).Dados pluviométricos do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) indicam que choveu 10,2 milímetros na Estação Jardim Botânico, da meia-noite às 8h desta quinta-feira. “Temos equipes nas ruas removendo galhos e árvores caídas. Esperamos devolver a normalidade à cidade o mais rápido possível”, disse o prefeito Sebastião Melo após tempestade.A prefeitura de Porto Alegre reforçou as equipes para atender os transtornos causados pelo temporal e os trabalhadores definiram como prioridade o estabelecimento da Estação de Tratamento de Água (ETA) Ilhas, que está sem energia elétrica. Segundo o Departamento Municipal de Água e Esgotos (Dmae), caminhões-pipa seriam enviados à região das Ilhas do Guaíba para garantir o abastecimento dos moradores até a normalização dos serviços.Pelo interior do Estado as rajadas foram ainda mais fortes. Conforme o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) em Soledade, o vento chegou a 142 quilômetros por hora, enquanto em Cruz Alta alcançou 140 quilômetros por hora. Em Jaguarão, as rajadas atingiram 125 quilômetros por hora. Já em Rio Grande, 114 quilômetros por hora.As quedas de árvores também interromperam o trânsito em dezenas de rodovias estaduais e federais em diversas regiões do Estado, conforme a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e o Comando Rodoviário da Brigada Militar (CRBM).Às 10h, o Estado tinha 1,089 milhão de clientes sem energia elétrica. São 752 mil na área da CEEE Equatorial e outros 337 mil na área da RGE Energia. Trata-se, portanto da segunda maior marca histórica. Em 17 de janeiro deste ano, conforme levantamento feito pelo governo do Estado, 1,3 milhão de clientes ficaram sem fornecimento de energia no pico da tempestade, considerado o maior dos últimos dez anos, levando em conta eventos climáticos de relevante magnitude que afetaram o Rio Grande do Sul.Feiras - A chuvarada e os fortes ventos causaram danos significativos nos estandes da 22ª Expoagro Afubra, em Rio Pardo, e a direção da feira voltada para a agricultura familiar suspendeu a programação desta quinta-feira. O segundo dia do South Summit Brazil, no Cais do Porto, foi confirmado pela organização do evento, mas os portões abriram os portões só às 10h, duas horas depois do previsto. ⁠O conteúdo dos palcos iniciou às 10h30min, atrasando em 1h30min os horários de todos os conteúdos da manhã.
A capital gaúcha teve rajadas de vento de até 90 quilômetros por hora
A capital gaúcha teve rajadas de vento de até 90 quilômetros por hora
TAGS:
COMENTÁRIOS

O QUE VOCÊ ACHOU DESSE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO...

Destaques
Assine nossa NEWSLETTER
Notícias diárias no seu email!



Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.