Mercado do açúcar apresenta forte volatilidade de preços

Vaivém no cenário doméstico de Brasil e Índia provoca mudanças rápidas nas cotações internacionais da commodity
Imagem do autor
- Especial para Rural News
Publicado em 05/02/2024

A volatilidade do mercado de açúcar tem experimentado níveis elevados desde a mudança dos fundamentos para um cenário mais equilibrado entre oferta e demanda, destaca avaliação da hEDGEpoint Global Markets, casa internacional de análises de commodities agrícolas. Nesta conjuntura, qualquer notícia ou rumor pode desencadear movimentos de preços de curta duração.

Segundo a consultoria, o anúncio do governo indiano - importante país produtor - contemplando um possível aumento de 8% no preço mínimo da cana pago pelas usinas na safra 2024/25, conhecido como Preço Justo e Remuneratório (FRP), influenciou para cima as cotações. Por outro lado, um volume de processamento elevado no Brasil combinado a um mix mais açucareiro na primeira quinzena de janeiro provocou recuo nos preços para um patamar inferior a 24c/lb.
Embarque de sacaria de açúcar no Porto de Paranaguá (PR). Foto AEN
Embarque de sacaria de açúcar no Porto de Paranaguá (PR). Foto AEN

Lívea Coda, analista de Açúcar e Etanol da hEDGEpoint, explica que normalmente, o governo indiano estabelece o FRP alguns meses antes do início da nova safra, mas, neste ano, ventilou antecipar a medida em uma tentativa de aumentar a disponibilidade de açúcar no país. "Essa possibilidade, combinada com as previsões de condições mais secas do que a média no verão do Centro-Sul brasileiro, serviu como um fator de alta.”

Por outro lado, o mais recente boletim de acompanhamento da União da Indústria de Cana-de-açúcar e Bioenergia (Unica), que apontou a moagem de 1,1 milhão de toneladas de cana e um mix de açúcar de 34,2% na primeira quinzena de janeiro, mostrou que o processamento total do ciclo 2023/24 está mais perto de atingir 651 milhões de toneladas, fez as cotações internacionais do adoçante voltarem a ficar abaixo de 24c/lb.

“Parece que o mercado está procurando um motivo para subir, contando com o apoio sazonal da demanda, evidenciado pelo aumento dos prêmios do físico em Santos, e dos anúncios ainda incertos”, finaliza Lívea.

Sobre o autor

Ronaldo Luiz é jornalista, com mais de 20 de trajetória no agronegócio. É editor dos Portais Uagro/DATAGRO, repórter especial da revista Plant Project, do site CenárioAgro e apresentador do talk show digital AgroPapo. É ainda colunista no Jornal Mato Grosso no Ar, distribuído para mais de 60 rádios de Mato Grosso, bem como do Portal RuralNews. Administra o grupo SouAgro no LinkedIn, que conta mais de 60 mil participantes. É proprietário da agência ComResultado - www.comresultado.com.br.
TAGS:
COMENTÁRIOS

O QUE VOCÊ ACHOU DESSE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO...

Destaques
Mais lidas
1
Detalhado projeto da nova fábrica da Mahindra no RS
2
Ano se inicia com preços do IPPA em queda
3
Após dia de alta, Commodities voltam a cair em Chicago
4
Indicador do algodão sobe e já opera na casa do R$ 4,2/LP
5
Começa hoje a Abertura Oficial da Colheita do Arroz no RS
6
Chuvas em fevereiro aliviam situação de lavoras de café
7
Preços da arroba do boi e da carne seguem pressionadas
8
Indicador do arroz retoma patamar de nov/23
9
Dia de muita chuva em grande parte do Brasil
10
Chuva continua volumosa no Tocantins, Sudeste e Nordeste
Assine nossa NEWSLETTER
Notícias diárias no seu email!



Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.