Perdas irreversívels na safra brasileira causadas pelo clima influenciam futuro da soja em Chicago

Os fundos continuam apostando em novas altas e acumulando posições compradas , além do clima na América do Sul, estão de olho na demanda pelo produto dos EUA
Imagem do autor
- Especial para Rural News
Publicado em 30/11/2023

O comportamento irregular do clima no Brasil, que já indica algum nível de perdas irreversíveis, segue como principal vetor dos preços da soja no mercado futuro na Bolsa de Chicago (CBOT). Os fundos continuam apostando em novas altas e acumulando posições compradas. E, além do clima na América do Sul, estão de olho na demanda pelo produto dos EUA, bem como em fatores técnicos como o comportamento do mercado de petróleo e do dólar.

A consultoria Safras Mercado tem sido uma das empresas mais conservadoras na reavaliação da safra brasileira. De acordo com levantamento divulgado no último final de semana, a produção ainda será recorde, com 161,3MT, corte de 1,2% sobre as estimativas iniciais. Na última campanha foram produzidas 157,8MT. Várias outras consultorias estão trabalhando com números que variam entre 150,0MT e 160,0MT.

No mercado doméstico, os produtores se mantêm mais retraídos diante das incertezas climáticas e da constatação de perdas já consolidadas. Atraso no plantio e necessidade de replantio em alguns setores são outras preocupações – o que deixa o mercado ainda mais largado. Prêmios são negociados nos portos brasileiros, no mercado spot, na faixa 30/70 cents sobre a CBOT; para fevereiro, os prêmios estão cotados na faixa de negativos 30/20.

Nesta quinta-feira, 30/11, as Indicações de compra no oeste do Paraná estão ntre R$ 138,00/139,00 e na faixa de R$ 146,00/148,00 em Paranaguá – dependendo do prazo de pagamento e, no interior, também do local e do período de embarque.


Sobre o autor

Possui graduação em Jornalismo pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos(1981), graduação em Economia pela Faculdade de Educação, Ciências e Letras de Cascavel(1985), especialização em Teoria Econômica pela Universidade Federal do Paraná(1989) e mestrado em Administração pela Universidade Federal de Santa Catarina(2001). Tem experiência na área de Economia. Atuando principalmente nos seguintes temas:Maximização da Renda, Informação, Comercialização. É diretor da Corretora Granoeste, de Cascavel/PR.
TAGS:
COMENTÁRIOS

O QUE VOCÊ ACHOU DESSE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO...

Destaques
Mais lidas
1
Escassez de frutas elevam preços do melão mais uma vez
2
Clima impulsiona aumento de oferta da alfece em SP
3
Público surpreende na Abertura Oficial da Colheita de Arroz e Grãos
4
Governo federal pretende mecanizar a agricultura familiar
5
Dados climáticos são fundamentais para a rentabilidade das culturas
6
Exportações de 873 mil doses foram destaque do mercado de sêmen em 2023
7
Rio Grande do Sul poderá ter temporais de hoje até quinta-feira
8
Preço do milho varia pouco no BR, mas cai com força no mercado externo
9
Demanda do ovo cai, mas a oferta controlada sustenta cotações
10
Com maior interesse comprador, soja tem peço mais firme na semana
Assine nossa NEWSLETTER
Notícias diárias no seu email!



Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.