Colheita da soja no Rio Grande do Sul avança para 3%

A área cultivada no Estado está estimada em 6.681.716 hectares. A produtividade projetada é de 3.329 quilos por hectare
Imagem do autor

Publicado em 22/03/2024

No período compreendido entre os dias 15 e 17 de março, ocorreram chuvas intensas, principalmente nas regiões a Oeste do Rio Grande do Sul. Nessas áreas, as atividades de colheita e os tratamentos fitossanitários na lavoura de soja foram interrompidos devido ao excesso de umidade; algumas plantações apresentaram danos por erosão em razão dos grandes volumes precipitados. Os dados são do Informativo Conjuntural, divulgado pela Emater-RS/Ascar nesta quinta-feira (21/3).

Na região da Campanha, as precipitações foram menos intensas, porém ainda significativas, superando 35 mm, o que foi crucial para mitigar os efeitos da estiagem em municípios que estavam há quase 60 dias sem chuvas expressivas. A colheita no Estado avançou para 3% da área cultivada, conforme o levantamento da Emater. A fase predominante é o enchimento de grãos, atingindo 59%, e a maturação 27%.Os rendimentos iniciais das lavouras precoces variaram de 1,5 mil quilos por hectare – regiões com menor produtividade e chuvas insuficientes – a 4,8 mil quilos por hectare – Campos de Cima da Serra, onde as chuvas foram mais frequentes. A área cultivada no Estado com a oleaginosa está estimada em 6.681.716 hectares. A produtividade projetada é de 3.329 quilos por hectare.Em termos fitossanitários, prevalece o controle de doenças de final de ciclo, especialmente ferrugem-asiática (Phakopsora pachyrhizi). Nas zonas de maior precipitação, os produtores enfrentam dificuldades relacionadas ao excesso de umidade no solo para o trânsito de pulverizadores. Também estão preocupados em relação a possíveis perdas por ferrugem nas lavouras que receberam aplicações há mais de 20 dias, pois o período residual dos fungicidas está praticamente expirado. Outro problema, observado em várias regiões, é a infestação de plantas daninhas, tais como buva e caruru, revelando falhas no protocolo de controle por meio de aplicações de dessecantes ou por resistência das plantas aos produtos aplicados.
Conforme o levantamento da Emater, a fase predominante é o enchimento de grãos, atingindo 59%, e a maturação 27%
Conforme o levantamento da Emater, a fase predominante é o enchimento de grãos, atingindo 59%, e a maturação 27%
TAGS:
COMENTÁRIOS

O QUE VOCÊ ACHOU DESSE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO...

Destaques
Mais lidas
1
Máquina utiliza Inteligência Artificial para fazer seleção de grãos
2
Aurora Coop inaugura indústria de processamento de carne de R$ 587 milhões
3
Safra de grãos será 25 milhões de toneladas a menos que anterior
4
Cercas e arames com alta tecnologia são destaque da Belgo na Tecnoshow
5
Artesanato local também teve o seu espaço na Tecnoshow
6
Mato Grosso do Sul terá a maior unidade de bovinos da América Latina
7
Aumento de casos de anomalia da soja preocupa no Sul
8
Maior feira da América Latina, Agrishow ainda fica devendo em infraestrutura
9
Tecnoshow Comigo movimentou R$ 9,340 bilhões em negócios
10
Corteva apresenta na Tecnoshow solução biológica fixadora de nitrogênio
11
Soja tem valor bruto de produção reduzido em um quinto
12
Oferta segue elevada mas demanda firme estabiliza as cotações da tilápia
Assine nossa NEWSLETTER
Notícias diárias no seu email!



Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.