Oportunidades de mercado para exportação da noz-pecã

RS é o maior produtor de noz-peçã e responde por 70% da produção nacional
Imagem do autor

Publicado em 11/03/2024

A cultura da noz-pecã e as oportunidades de mercado para produtos alimentícios e cosméticos pautaram palestra no Pavilhão Internacional da Expodireto Cotrijal, em Não Me Toque (RS). Promovido pelo Instituto Brasileiro de Pecanicultura (IBPecan) e pela Secretaria de Desenvolvimento do Estado do Rio Grande do Sul, o painel “A Cultura da Noz-Pecã no Brasil e no Mundo” apresentou cases de trabalhos realizados de agregação de valor ao produto, além do programa Exporta RS.

O coordenador do programa Exporta RS, Sílvio Fernando Andriotti, explicou sobre como funciona o programa, criado em 2016, o qual incentiva empresas gaúchas que queiram entrar no mercado internacional ou expandir as exportações. No final do ano passado, a secretaria e o IBPecan começaram a trabalhar a abertura de mercados para os produtores e empresas do Estado. “Sabemos a dificuldade que todos, pequenos e médios, possuem para entrar no mercado internacional. Então o governo do Estado criou este programa que é gratuito, não tem custo, as empresas só têm a ganhar”, ressaltou.
Palestra foi realizada durante a Expodireto Cotrijal, encerrada sexta-feira passada
Palestra foi realizada durante a Expodireto Cotrijal, encerrada sexta-feira passada

Andriotti disse, ainda, que é realizado um estudo de mercado focado no produto que se quer exportar. “Seja noz-pecã, seja cosmético, seja bandeja, caneca, nós estamos fazendo estudos de mercado fora do Brasil e procurando identificar bastante quais são os mercados e quais os potenciais importadores deste produto”, acrescentou.
Hoje nós temos uma noz de muito boa qualidade, temos técnicos e intercâmbios.
Carlos Eduardo Scheibe

O diretor do IBPecan, Carlos Eduardo Scheibe, representou a entidade no evento. Falou da história do instituto e do trabalho que vem desenvolvendo com instituições públicas, privadas e universidades no sentido de fomento à cultura. “Outra coisa que às vezes a gente tem um pouco de impeditivo é que estamos passando de uma fase extrativista para uma fase comercial. Hoje nós temos uma noz de muito boa qualidade, temos técnicos e intercâmbios. O IBPecan tem um papel muito importante de treinamento e profissionalização tanto de técnicos quanto da mão de obra e, principalmente, estamos fazendo treinamento para classificação e padronização do fruto que o mercado mundial precisa”, observou.

Pecanttone

Representando a Pecan Brasil, Anelise Scheibe falou sobre o case da empresa, que está investindo em produtos alimentícios. Um dos maiores exemplos é o Pecanttone. “Temos o nosso Pecanttone, que é um panetone de noz-pecã com gotas de chocolate. Fizemos toda uma experiência, procuramos uma indústria especializada em fazer panetones de Santa Maria. Consultamos o projeto Agro BR da CNA, que nos preparou para exportar. Então, se olhar a embalagem, ela ainda tem características para exportação. É um produto diferenciado, nós temos um bom produto”, salientou.
O segundo case foi com Victória Pitol, representando a Pitol Cosméticos, que produz linhas de produtos de beleza com a noz-pecã. “Viemos com o objetivo de inovar no mercado e potencializar a diversidade que a noz-pecã tem”, contou, informando que tudo iniciou com um projeto em parceria com três uniões, a Pitol, como família, como empresa, a Unisinos e o Sebrae. “Depois, com esse objetivo cumprido, com os produtos, a Pitol também adquiriu o óleo de nozes, da Nozes Pitol, e puxou para Pitol Cosméticos, e dali fez uma outra linha, que é a linha hidratante”. explicou.,

O RS é o maior produtor nacional de pecã e responde por cerca de 70% da produção do País. Em 2024, a produção foi de 7 mil toneladas. A cultura está distribuída em várias regiões do Estado e conforme levantamento da Emater/RS, em 2023, existem 1.502 produtores de pecã, totalizando 7 mil hectares cultivados. Neste ano, o excesso de chuvas principalmente durante o período de polinização prejudicou a cultura e a safra estadual deverá ser menor, entre 4 e 5 mil toneladas.


TAGS:
COMENTÁRIOS

O QUE VOCÊ ACHOU DESSE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO...

Destaques
Mais lidas
1
Máquina utiliza Inteligência Artificial para fazer seleção de grãos
2
Aurora Coop inaugura indústria de processamento de carne de R$ 587 milhões
3
Safra de grãos será 25 milhões de toneladas a menos que anterior
4
Cercas e arames com alta tecnologia são destaque da Belgo na Tecnoshow
5
Artesanato local também teve o seu espaço na Tecnoshow
6
Mato Grosso do Sul terá a maior unidade de bovinos da América Latina
7
Aumento de casos de anomalia da soja preocupa no Sul
8
Maior feira da América Latina, Agrishow ainda fica devendo em infraestrutura
9
Tecnoshow Comigo movimentou R$ 9,340 bilhões em negócios
10
Corteva apresenta na Tecnoshow solução biológica fixadora de nitrogênio
11
Soja tem valor bruto de produção reduzido em um quinto
12
Cooperativa Frísia investe quase R$ 50 milhões para ampliar armazenagem
Assine nossa NEWSLETTER
Notícias diárias no seu email!



Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.