Milho 31/01/2024

Quedas no milho trouxeram preços na CBOT aos piores níveis 2020

Ontem, mercado fechou entre 6 e 8 pontos de alta nos principais vencimentos. Na BMF, a posição março opera em R$ 65,00 (+0,8%) e maio, em R$ 65,20 (+0,9%)

Camilo Motter

Os contratos negociados com milho em Chicago operam em ligeira queda, a U$ 4,47/março, na manhã desta quarta-feira, 31/01. Ontem, mercado fechou entre 6 e 8 pontos de alta nos principais vencimentos. Na BMF, a posição março opera em R$ 65,00 (+0,8%) e maio, em R$ 65,20 (+0,9%). Segundo analistas ouvidos pela agência Dow Jones, as quedas consecutivas no milho trouxeram os preços na CBOT aos piores níveis desde dezembro de 2020. Assim mesmo, os fundos seguem muito vendidos, aguardando alguma notícia que possa trazer novas perspectivas para as cotações. Se isto acontecer, este grupo de investidores tende a reverter suas carteiras, comprando posições.
Esse posicionamento dos fundos representa bem a atual situação do mercado do milho, que anda de lado, sem maiores novidades e pouquíssimos negócios. Os participantes permanecem atentos em relação ao clima na América do Sul, que, apesar da perspectiva de uma bela produção, encara a chegada de um novo período de tempo quente e seco, especialmente na Argentina e no Rio Grande do Sul.
No oeste do Paraná, indicações de compra na faixa entre R$ 54,00/56,00 – dependendo de prazos de pagamento e localização do lote.
CÂMBIO – Dólar opera em leve alta neste momento, a R$ 4,95. Ontem, fechou em R$ 4,945.

TAGS: milho - cbot - bolsa de chicago