Meio Ambiente 06/02/2024

Bombeiros disputam espaço aéreo com tuiuiús no combate a incêndio

Aves de grande porte podem derrubar aviões no Pantanal Sul-Mato-Grossense

Treinamento e experiência são fundamentais para o trabalho. Foto: Secom/MS

Redação em Campo Grande/MS

O Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso do Sul está atuando, com o uso de aviões, no combate aos incêndios florestais no Pantanal. O foco do trabalho se concentra na Serra do Amolar, com operação para controle e extinção das chamas iniciada no dia 29 de janeiro.A execução da tarefa envolve preparação detalhada, desde a logística para abastecimento de combustível e água, até cálculos que garantem a segurança dos voos e das equipes em solo. “A dificuldade maior, além de acesso e áreas mais restritas e de proximidade de pistas que as aeronaves necessitam, são os pássaros. Como é uma aeronave que voa baixo para fazer o lançamento (de água), temos que ficar em constante atenção para não colidir com os pássaros grandes que tem no pantanal, como tuiuiú e garça. Dependendo da região que pega pode acabar até derrubando a aeronave. Então é uma atenção constante que a gente tem que ter durante os voos”, explicou o tenente Jonatas Lucena, do GOA (Grupamento de Operações Aéreas)m por meio da assessoria de imprensa.
Para garantir eficiência no lançamento de água, o processo para abastecimento de 3 mil litros dura apenas entre 3 e 5 minutos.
Além de dois aviões ‘air tractor’ que podem fazer lançamentos de água em locais de difícil acesso por terra, outras duas aeronaves prestam apoio no transporte de carga e equipes. Tudo condicionado à possibilidade do uso de pistas e garantia de segurança para pousos e decolagens.
O incêndio na área de preservação próxima a Serra do Amolar é atípico, e o segundo que conta com a atuação dos bombeiros em 2024 na região pantaneira – outro ocorreu na semana passada em Miranda, na região do Parque Estadual do Pantanal do Rio Negro.

TAGS: pantanal - incêndio - aviões