Safra 08/02/2024

Governo Lula não vai atender pedido de produtores de soja

Secretário do Mapa, Neri Geller, diz que discussão sobre rolagem de dívidas exige cautela

Neri Geller diz que governo não tem dinheiro para atender produtores. Foto: Cássia Lombardi/Rural News

Redação em Cascavel/PR

O governo federal não deverá atender um pedido de produtores de soja para a rolagem ou renegociação de dívidas bancárias contraídas para financiamento das safras de soja e de milho do ano passado e a que está em fase inicial, neste ano. "Não há recursos para isso", resumiu Neri Geller, secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. O pedido foi apresentado, inicialmente, pela Aprosoja MT, em janeiro, com a liberação de R$ 500 milhões do Tesouro Nacional para cobertura de dívidas bancárias.
O presidente da associação, Lucas Beber, disse na época que esta seria uma solução para evitar o ajuizamento de ações judiciais contra produtores inadimplentes. Em seguida, a Aprosoja Brasil declarou apoio à iniciativa de Beber e a CNA (Confederação Nacional da Agricultura) aderiu à proposta com o envio de pedido semelhante. Neri Gueller disse nesta quarta-feira (7), em Cascavel (PR), que o governo federal não tem caixa para cobrir dívidas de produtores e que isto demandaria o atendimento a outros setores que também foram prejudicados pelas variações climáticas - principal alegação dos produtores.
"O momento é de cautela. Não podemos nos apressar numa decisão assim porque isto pode interferir no mercado. A safra ainda não acabou e sabemos que os produtores vêm de quatro safras boas", disse Geller.
Em uma entrevista muito rápida, o ministro Carlos Fávaro (Agricultura) disse desconhecer o assunto. Depois, voltou atrás e também indicou o tratamento do assunto "com cautela".A Aprosoja Brasil emitiu nota com estranheza sobre a declaração de Fávaro. Leia abaixo.
Para o presidente da Federação da Agricultura do Paraná, Ágide Meneguette, a posição do governo revela falta de interesse e desconhecimento da situação crítica do setor.
Leia a íntegra da nota "A Aprosoja Brasil sempre buscou o diálogo com o governo eleito que assumiu em janeiro de 2023. Em 28 de março a Aprosoja Brasil fez contato com o gabinete do ministro da Agricultura solicitando uma audiência para apresentar a pauta da entidade. No mesmo dia a secretária informou que a solicitação estava em análise. Posteriormente foi feito contato com a assessoria do ministro Carlos Fávaro, que não nos atendeu, nem deu retorno à nossa solicitação. No mês seguinte, diante da dificuldade de confirmação da agenda, conseguimos, de maneira informal, obter informações do Ministério sobre o porquê da recusa em receber a Aprosoja Brasil. Foi informado na ocasião que o motivo era a dificuldade de relacionamento entre a Aprosoja Mato Groso e o ministro da Agricultura. O ofício, contendo a pauta da Aprosoja Brasil, nunca pôde ser entregue ao gabinete do ministro, mas as demandas da entidade chegaram oficialmente através das secretarias da pasta. Evidentemente não houve nenhum contato oficial por parte do Ministério com tais afirmações. Em 2024, após a posse do novo secretário de Política Agrícola, Neri Geller, um novo pedido de agenda foi feito com o objetivo de entregar um ofício com as principais demandas da entidade. Infelizmente, apesar de ter havido confirmação na agenda, a reunião foi cancelada de última hora, sem a abertura de uma nova data. Ainda assim, o ofício foi protocolado. Aprosoja Brasil"

TAGS: safra - dívidas - rolagem