Preço da soja abre semana na onda baixista, em Chicago

Negociações desta segunda-feira têm cotação 0,07 cents/dolar menor que a de sexta-feira
Imagem do autor
- Especial para Rural News
Publicado em 29/01/2024

O mercado da soja segue operando no campo negativo, na manhã desta segunda-feira (29), como fechou na semana passada. O valor do bushel é negociado em menos 7 cents, a U$ 12,02/março, na sequência das perdas de cerca de 30 cents apuradas nas últimas duas sessões.


Onda de queda de preços tem a ver com safras da Argentina e do Brasil, avaliam consultorias
Onda de queda de preços tem a ver com safras da Argentina e do Brasil, avaliam consultorias

Nesta madrugada, o mercado chegou a operar abaixo da importante resistência de U$ 12,00 na posição presente.



Os preços são afetados pela perspectiva de certo enfraquecimento da demanda.


A agência Reuters reporta que, na China, a produção de suínos vem caindo nos últimos meses. Além disto, a decisão judicial para liquidação da empresa Evergrande, com passivo superior a U$ 300 bilhões, tende a colocar um freio no ritmo de crescimento da economia local.


O mercado também olha para a chegada da safra sul-americana. Apesar da quebra no Brasil, a Argentina, cujo plantio já está finalizado, tende a entregar uma colheita cheia. O resultado é que, no conjunto, entre perdas e ganhos, a safra deste hemisfério tende a ser maior do que a do ano anterior.



No Brasil a colheita alcança 9% ante aos 4,4% do mesmo ponto do ano passado e a 6,4% de média histórica. Houve progresso de 4 pontos na semana. O levantamento é da consultoria Safras Mercado. No Mato Grosso, os trabalhos chegam a 22% e no Paraná a 15%.


O Deral cortou a safra de soja do Paraná em cerca de 2,5MT. A estimativa em dezembro era de 21,7MT; agora, de 19,2MT. Isto representa uma queda de 14% sobre o recorde histórico de 22,3MT, colhido no ano passado.



Os prêmios nos portos brasileiros se mostram pressionados, o que limita ainda mais a formação do preço interno. No mercado spot, são indicados na faixa entre -100/-65; para março, entre –120/-100.

Diante do atual cenário, os produtores se mantêm retraídos, com baixo volume de ofertas. Indicações de compra no oeste do Paraná entre R$ 106,00/108,00 e em Paranaguá na faixa de R$ 115,00/118,00 – dependendo do prazo de pagamento e, no interior, também do local e do período de embarque.




Sobre o autor

Possui graduação em Jornalismo pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos(1981), graduação em Economia pela Faculdade de Educação, Ciências e Letras de Cascavel(1985), especialização em Teoria Econômica pela Universidade Federal do Paraná(1989) e mestrado em Administração pela Universidade Federal de Santa Catarina(2001). Tem experiência na área de Economia. Atuando principalmente nos seguintes temas:Maximização da Renda, Informação, Comercialização. É diretor da Corretora Granoeste, de Cascavel/PR.
TAGS:
COMENTÁRIOS

O QUE VOCÊ ACHOU DESSE CONTEÚDO? DEIXE SEU COMENTÁRIO...

Destaques
Mais lidas
1
Escassez de frutas elevam preços do melão mais uma vez
2
Clima impulsiona aumento de oferta da alfece em SP
3
Público surpreende na Abertura Oficial da Colheita de Arroz e Grãos
4
Governo federal pretende mecanizar a agricultura familiar
5
Dados climáticos são fundamentais para a rentabilidade das culturas
6
Exportações de 873 mil doses foram destaque do mercado de sêmen em 2023
7
Rio Grande do Sul poderá ter temporais de hoje até quinta-feira
8
Preço do milho varia pouco no BR, mas cai com força no mercado externo
9
Demanda do ovo cai, mas a oferta controlada sustenta cotações
10
Com maior interesse comprador, soja tem peço mais firme na semana
Assine nossa NEWSLETTER
Notícias diárias no seu email!



Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.